ESCOLHA, PAGUE E RECEBA SEU PEDIDO SEM SAIR DE CASA

Gênero: Ensaios

Formato: 12 x 21 | Ano: 2018 

Peso: 197 gr

Páginas: 184 | Offset 75

SINOPSE: Quinze vezes o cravo – a tradução como Ato: livro que interroga “o estatuto da repetição, o tempo e suas dobras, as vozes e seus ecos, a escrita e a memória – a origem”. Interroga o que pode ser dito e o que resta no silêncio. Endereça sua pergunta ao tempo que se repete Quinze vezes ou mais no tempo que toca “o cravo” que soa, que ressoa. O que fica no além-mar da palavra inaudível. O que pulsa na vertigem da criação literária. No intervalo do Cosmos ao Caos, no movimento de vida que tudo abrange e que está a linguagem colocada, A “senhora” linguagem, ou a “santa” língua de cada um de nós. Um livro que fala também do que nos atravessa, do que nos obriga a rever o que fica fora;oque é da ordem da incompletude.
Luciana Brandão Carreira se debruça “entre” a língua portuguesa do Brasil e a de Portugal, encontrando aspectos delicados que “florem”, que brotam deste lugar que não se traduz pois diz a mesma e outra coisa. O que os “cravos” nos contam ao longo do tempo? E no ‘silêncio estrutural’ das flores? Perguntas que, sim, só a poesia poderá nos responder.

QUINZE VEZES O CRAVO – Luciana Brandão Carreira

R$40,00
QUINZE VEZES O CRAVO – Luciana Brandão Carreira R$40,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Na Figueredo Avenida Gentil Bittencourt, 449, Belém, Pa - Atendimento de segunda à sexta das 10:00 às 19:00

    Grátis

Gênero: Ensaios

Formato: 12 x 21 | Ano: 2018 

Peso: 197 gr

Páginas: 184 | Offset 75

SINOPSE: Quinze vezes o cravo – a tradução como Ato: livro que interroga “o estatuto da repetição, o tempo e suas dobras, as vozes e seus ecos, a escrita e a memória – a origem”. Interroga o que pode ser dito e o que resta no silêncio. Endereça sua pergunta ao tempo que se repete Quinze vezes ou mais no tempo que toca “o cravo” que soa, que ressoa. O que fica no além-mar da palavra inaudível. O que pulsa na vertigem da criação literária. No intervalo do Cosmos ao Caos, no movimento de vida que tudo abrange e que está a linguagem colocada, A “senhora” linguagem, ou a “santa” língua de cada um de nós. Um livro que fala também do que nos atravessa, do que nos obriga a rever o que fica fora;oque é da ordem da incompletude.
Luciana Brandão Carreira se debruça “entre” a língua portuguesa do Brasil e a de Portugal, encontrando aspectos delicados que “florem”, que brotam deste lugar que não se traduz pois diz a mesma e outra coisa. O que os “cravos” nos contam ao longo do tempo? E no ‘silêncio estrutural’ das flores? Perguntas que, sim, só a poesia poderá nos responder.